Home » Depoimentos » Projetos Preventivos

Projetos Preventivos

A Supervisão clínica é um instrumento de integração e qualificação das equipes que trabalham em serviços de saúde. No CUIDA é realizada desde o início do serviço pela Dra. Neliana B. Figlie, possibilitando aos profissionais uma reflexão do cotidiano, que por muitas vezes é imbuído de cronologia, sentimentos… que impedem uma visão mais ampla. Com a supervisão podemos perceber caminhos que podem ser utilizados contribuindo para a melhoria da qualidade das ações de promoção e tratamento. Sem esta supervisão existente há 07 anos, tenho certeza, de que não teríamos alcançado tanto êxito nos casos atendidos, e que não haveria este aprendizado que enriquece crianças, adolescentes, familiares e profissionais”.
Elizabete, assistente social, coordenadora do Projeto CUIDA

“Em conjunto com uma equipe comprometida na cidade de Joinville-SC, a Dra. Neliana vem contribuindo de forma importante, para a concretização de um projeto belíssimo, chamado de Jovens de Atitude. Sinto-me honrado em ter conhecido a Dra. Neliana e poder contar com seu vasto conhecimento no campo da prevenção de álcool, tabaco e outras drogas.”
Felipe Hansen, 29 anos, Industrial, – Projeto Jovens de Atitude – Joinville/SC.

“Conhecer e conviver um pouquinho com a Dra. Neliana, em algumas jornadas de trabalho, sempre buscando conscientizar professores e crianças para a importância da prevenção ao uso de álcool e drogas, tem sido uma experiência enriquecedora. Realmente estimulante, para quem é leigo no assunto. Obrigado pela sua contribuição”.
Julio Franco, 40 anos, jornalista – Projeto Jovens de Atitude – Joinville/SC.

“Me sinto privilegiada por conhecer uma pessoa tão meiga, simples e detentora de tanto conhecimento como a Drª Neliana. Considero inestimável a sua contribuição para a sociedade e lhe agradeço muito por me proporcionar a oportunidade de aprender e fazer parte de um projeto que atua diretamente na prevenção ao uso abusivo de álcool, tabaco e outras drogas. Que bom que você faz a diferença.”
Roseli Nabozny, 41, Projeto Jovens de Atitude – Joinville/SC.

“Poder conhecer seu trabalho em alguns congressos que participei sempre foi para mim uma experiência enriquecedora.
Conhecê-la profissionalmente e ter a honra de ser supervisionada por você num projeto que muito me orgulha, é gratificante.
Muito obrigada por dividir conosco um pouco de sua experiência profissional.”
Lisa, 43, Terapeuta Ocupacional – Projeto Jovens de Atitude- Joinville/SC.

Olha é complicado falar da Neliana, a história dela com o Jd. Ângela por exemplo. Creio que já vai para uns 12 anos. E ela sempre acreditou que a comunidade e a universidade poderiam fazer a diferença juntos. Sempre procurou motivar e incentivar as pessoas, colaboradores, familiares e pacientes que de alguma forma tiveram o privilégio de conviver com a mesma no dia a dia. Acreditou na parceria com uma ONG no Jd. Ângela que engatinhava na área de dependência quimíca e investiu seus esforços, energia, determinação, conhecimentos, na prática do bem sem idealizar retorno algum para si ou para a academia. Muitos podem falar: “Ah! É uma gotinha num universo complicado!” Pode até ser, mas como diz o Pe. Jaime quando parafraseando, lembra-nos de Gandhi: “É melhor acender um palito de fósforo do que amaldiçoar a escuridão”.
Por conta do meu vínculo na UCAD/Moradia Assistida, que em 2003 incorporou a ideia de CAPSad, não pude frequentar e acompanhar o CUIDA de perto no seu dia a dia. Mas nunca duvidei de que esta proposta faria a diferença na vida de crianças que convivem com familiares usuários de substâncias psicoativas. A confraternização de final de ano no CUIDA era algo contagiante, ver colaboradores, a população atendida e a própria Neliana em comunhão com o projeto, comemorando mais um ano que se findava.
Em 2005 tivemos inúmeros abalos nos projetos sociais da citada ONG, mas a vontade de trabalhar em benefício do próximo prevaleceu. Não “caímos”, pelo contrário, acredito que o atendimento na área da dependência quimíca ficou mais forte ainda. Continuamos com muitas pedras no percurso, mas quando sai da entidade em 2009, saí com o coração partido, mas na certeza que a luta valeu a pena. E espero que a missão do CUIDA siga firme e forte. Eu acho fundamental , termos fé e esperança num amanhã melhor, mas fé sem caridade é uma fé vazia. Não vislumbro um ideal a ser conquistado sem ambas. E acredito que a Neliana também.
Sérgio Luís Ferreira, Ex-Psicólogo-Coordenador da UCAD/Moradia Assistida/CAPSad Jd. Ângela