Depoimento dos alunos Modulo Intermediário – setembro 2018

**Consegui concretizar mais o conteúdo e compreender o todo. Erika Porto – Nutricionista

 

**Consegui amarrar os conhecimentos adquiridos no módulo anterior com novos conhecimentos.

Trabalhos práticos muito bons e ótima didática com clareza nas informações passadas. Joici – Psicóloga

 

**Aprofundar o conhecimento sobre ETM e levar a ter um novo olhar sobre a minha pratica clínica.

Falar menos, observar a prontidão ou não do paciente, refletir suas falas como um espelho d’agua e ajuda ló na sua ambiência, foram os principais aprendizados para mim. Taisa- Psicóloga

 

**Didática, conteúdo rico, metodologia. Francisco Junior – Psicólogo

 

**Pontualidade. Qualidade do método e informações. Boa vontade e esclarecimento de dúvidas. Nelson Junior – Estudante de Psicologia

 

**Exercícios e praticas com supervisão e compaixão. Stephanie- Médica

 

 

Depoimento dos alunos Modulo Básico – agosto 2018

Iulia Sessar Puls Peliquin, Psicóloga

Durante o curso

Aprendi

A deixar mais espaço para o cliente, e formas diferentes de lidar com ele.

Voltei a aprender

A conter a minha ansiedade e deixar o tempo necessário para o cliente realize a mudança.

Observei

Que apenas a pratica diária levará a conseguir utilizar a ETM.

Desfrutei

De um ambiente de aprendizado incrível.

Curso muito bom! Recomendadíssimo.

 

 

 

Joice Adriane Cesnik, Psicóloga 

Durante o curso

Aprendi

Conceitos básicos da ETM

Voltei a aprender

Conceitos importantes e como fazer reflexões fundamentais para a terapia.

Observei

Que a pratica é fundamental e nada simples.

Desfrutei

Do aprendizado em grupo e a pratica da ETM

 

 

 

 

Gerson, Psicólogo

Durante o curso

Aprendi

Os conceitos básicos de ETM

Voltei a aprender

A importância de escutar

Desfrutei

Bons momentos com o grupo.

 

 

 

Francisco C Junior, Psicólogo

 Durante o curso

Aprendi

Bastante sobre entrevista motivacional, quebrando mitos de outros aprendizados acerca do tema.

Voltei a aprender

Alguns aspectos sobre escuta, e técnicas já vistas.

Observei

Que preciso empenhar mais acerca da gama de conhecimento adquirido no curso.

Desfrutei

De bastante informações atualizadas do tema e das trocas de experiências.

Mais dias de aula, porque é maravilhoso.

 

 

 

Alessandro Campolina, Médico

Durante o curso

Aprendi

Habilidades que me permitirão aprender a mudança em meus pacientes.

Voltei a aprender

Alguns aspectos sobre a importância da empatia e da compaixão.

Observei

O quando é importante ter uma escuta ativa.

Desfrutei

Momentos de pratica muito ricos.

 

 

 

Erika Porto, Nutricionista

Durante o curso

Aprendi

Melhor fazer o PARR e a importância de não interpretar.

Voltei a aprender

Sobre o espirito da ETM e o real significado da compaixão.

Observei

Que evolui de um curso para o outro e que aumentou minha auto eficácia para aplicar a ETM no consultório.

Desfrutei

Bastante das trocas entre profissionais e dos vídeos do curso.

 

 

 

Stepanhie Jach, Médica

Durante o curso

Aprendi

Um cuidado construtivo com a minha fala: pessoa certa, momento certo, palavra certa.

Voltei a aprender

Escuta atenta

Observei

Estilos individuais de comunicação

Desfrutei

Da convivência. O ambiente positivo e produtivo, os exercícios práticos e as discussões.

 

 

 

 Taisa, Psicóloga

Durante o curso

Aprendi

Os conceitos da ETM

Voltei a aprender

A importância de falar pouco.

Observei

Que talvez, eu me exceda no quanto eu falo nas sessões com alguns pacientes.

Desfrutei

Dos trabalhos/ exercícios em grupo.

 

 

 

 Frederico Barbosa, Personal Trainer

Durante o curso

Aprendi

Que comunicação é fundamental.

Voltei a aprender

Que o indivíduo nunca é só o que diz.

Observei

A importância da Multidisciplinaridade no cuidado com a saúde.

Desfrutei

Do trabalho em grupo para o aprendizado.

Frederico Barbosa, Personal Trainer

 

 

Márcia Maria da Silva, Psicóloga

Durante o curso

Aprendi

Qualquer mudança é preciosidade de engajamento. Empatia é a compaixão é importante nesse trabalho.

Voltei a aprender

Sobre o modelo transteórico.

Observei

A necessidade de apurar a escuta e que falar menos pode ser mais.

Desfrutei

Do novo conteúdo e da companhia de pessoas novas.

 

 

 

 

Durante o curso

Aprendi

A importância de engajar e motivar qualquer pessoa que precisa de ajuda.

Voltei a aprender

Que é muito importante o modo como nos comunicamos especialmente com clientes.

Observei

Que este treinamento tem um grande potencial de escuta quando feito da forma correta.

Desfrutei

Das experiências trazidas por todos.

Nelson Junior, Comerciante

Cliente de Consultório

Posso considerar que sou uma pessoa renovada após algumas sessões e tratamento psicoterapêutico com a Dra. Neliana. O resultado do tratamento veio em poucos meses de forma espontânea, pela minha própria filha:
“Mamãe, hoje em dia você é a melhor mãe do mundo, antes você era a pior”

Sou extremamente grata à essa profissional fantástica, por toda sua paciência, sensibilidade, carinho e, acima de tudo, profissionalismo.

Em resumo, nos últimos meses, com o apoio da conduta extremamente ética e à sensibilidade da Dra. Neliana, tive a oportunidade de refazer minha vida e mudar completamente minha maneira de pensar e agir.

Ao longo do tratamento e em poucas sessões, já consegui perceber melhora significativa, principalmente em relação à crenças me prejudicavam desde minha adolescência e impactavam não somente à mim, como também toda a minha família.

A melhora foi percebida por mim e por todos à minha volta, inclusive por minha filhinha adorável de 6 anos que necessitava de uma mãe presente e tinha com ela somente uma pessoa workahohic, ambiciosa e dependente excessiva de trabalho e alcance de metas, no ambiente competitivo que vivia.

Dra Neliana, muito obrigada, do fundo do meu coração!
Fernanda, administradora, 39 anos

¨Motivational Interviewing in Schools: Conversations to Improve Behavior and Learning (Applications of Motivational Interviewing)¨

Indicação de livro:

¨Motivational Interviewing in Schools: Conversations to Improve Behavior and Learning (Applications of Motivational Interviewing)¨

Stephen Rollnick ,‎ Sebastian G. Kaplan &‎ Richard Rutschman

Idioma: Inglês     Ano: 2016

Trata-se de um guia de entrevista motivacional para o  educador que demonstra as interações cotidianas com os alunos como poderosas oportunidades de mudança. O livro compreende habilidades e estratégias para tornar conversas breves sobre qualquer tipo de desafio comportamental, acadêmico ou relacionado a pares mais efetiva. Contém exemplos de diálogos com estudantes de forma a promover a resolução de problemas e  crescimento pessoal; exercícios de aprendizagem  e tipos de reflexão. Recursos adicionais úteis estão disponíveis em site complementar. Escrito para professores, o livro é recomendado em oficinas pedagógicas por psicólogos escolares, conselheiros e assistentes sociais.

Entrevista Motivacional como um tratamento alternativa para o uso de Substancias Psicoativas

Na maioria das vezes a pessoa que procura um tratamento com um profissional de saúde traz a crença de que a hora que quiser eu paro;  que já tentou tantas vezes e que não vai conseguir; que usar ou beber um pouco, não fará mal, entre outras crenças.

A entrevista motivacional (EM) é um estilo de aconselhamento utilizado  em diversas áreas da saúde, social, educação e judiciária que almeja promoção de  mudanças comportamentais. Por meio de uma conversa colaborativa, que envolve parceria, aceitação, compaixão o profissional evoca as motivações intrínsecas do cliente que o levam a manter um consumo de substancias, bem como aqueles que procuram ajuda para interromper o consumo.

O passo inicial é a aceitação da realidade e envolvimento na tomada de decisões:   Não se assuste se descobrir que você está em situações extremas, pois nem tudo é só preto ou só branco, existem situações que podem ser mudadas e só dependem de você. Lembre-se que existem muitas pessoas que estão divididas (querem parar porque estão com problemas financeiros, mas querem continuar bebendo porque a bebida lhe dá mais prazer na vida, por exemplo). Se faz necessário  avaliar os dois lados da questão e descrever as vantagens e desvantagens entre parar e continuar com o uso.

O profissional deve encorajar e conduzir o trabalho de modo que a pessoa inicialmente se engaje no tratamento e para tal, essa deve estabelecer um foco claro com relação a mudança que almeja realizar, para posteriormente o profissional trabalhar a evocação de seus valores, motivos, desejos e habilidades para a realização da mudança. Por fim, profissional e cliente realizam juntos o planejamento da intervenção focado na mudança de comportamento possível e viável para a pessoa diante das condições no seu momento presente.

Neste contexto, se faz necessário compreender a ambivalência como a percepção do cliente sobre a importância que ele atribui à mudança, bem como quão confiante se sente para a realização dessa mudança.  Um método simples para avaliar a importância e a confiança é a escala de disposição.

 

Escala de Disposição

Quão importante é para você realizar esta mudança? Em uma escala de 0 a 10, sendo o 0 não importante e o 10 extremamente importante, que nota você se daria?

                                 0…1…2…3…4…5…6…7…8…9…10

Sem importância                                                              Muito importante

 

Quão confiante você se sente para realizar esta mudança? Em uma escala de 0 a 10, sendo o 0 sem confiança e o 10 muito confiante, que nota você se daria?

                           0…1…2…3…4…5…6…7…8…9…10

Sem confiança                                                   Muito confiante

 

Ao profissional compete compreender os diferentes perfis dos clientes de acordo com a importância e com a confiança que sentem em relação a sua mudança.

Grupo A – Baixa importância e confiança Grupo B – Baixa importância e alta confiança
Os indivíduos não veem como importante ou não acreditam que podem ter sucesso se tentarem mudar. Os indivíduos mostram-se confiantes para a realização da mudança e não visualizam sua importância.
Grupo C – Alta importância e baixa confiança Grupo D – Altas importância e confiança
Essas pessoas não desejam mudar porque não se acham em condições de fazê-lo. Estas pessoas acham a mudança importante e acreditam que podem ter sucesso na realização dela.

 

Os perfis A,B e C são aqueles que mais se beneficiarão da ETM.

 

Como comunicar a prevenção: Motivar para a Mudança

O usuário de substâncias é sempre um cliente desafiador frente a um profissional, sobretudo na adolescência. Vinte anos de pesquisa revelou que a maior proporção de bebedores pesados e pessoas com transtornos relacionados ao álcool e outras substâncias engloba mais de 90% de todos os estudantes universitários matriculados, a maioria destes, entre as idades de 18 e 21 anos. Bebedores de álcool são mais propensos a terem sido insultados por terceiros; confrontados com investidas sexuais não desejadas; vítimas de estupro ou agressão sexual; envolvimento em brigas e discussões;  tiveram seus bens danificados; atividade sexual não planejada; apresentaram maior suscetibilidade de contrair doenças sexualmente transmissíveis; maior risco de serem vítimas de ferimentos fatais ou de provocarem ferimentos fatais; bem como, dirigirem embriagados.

Vale destacar que neste contexto, os jovens sempre irão interagir com pessoas que estarão preocupadas com sua saúde e integridade. Estas pessoas, na maioria das vezes, não serão especialistas em Dependência Química, mas por outro lado, sabemos que pessoas com pouco ou nenhum conhecimento na área podem impactar positivamente estes jovens. Daí a importância do profissional seja no contexto da educação, saúde,  empresarial, social ou da justiça atentar-se a postura e a maneira de acolher a pessoa, que involuntariamente ou por procura espontânea, procura ajuda: o que varia é a forma de se expressar.

A questão é como causar este impacto positivo?

Não é uma pergunta simples de ser respondida, mas a forma pode ser fácil desde que saibamos ouvir e expressar real aceitação e preocupação com a pessoa que está a nossa frente, ao valorizar suas potencialidades, apoiar sua autonomia e enfatizar seus valores. A Entrevista Motivacional é uma abordagem e aconselhamento que envolve escuta e comunicação efetiva entre aquele que almeja ajudar e aquele que precisa ser orientado.

As premissas básicas que auxiliam o profissional na prática da EM são:

  • Empatia, congruência, espírito colaborativo são fundamentais para o aumento da motivação para a mudança;
  • Adoção de um estilo calmo e eliciador;
  • Considera a ambivalência natural: a motivação para a mudança deve ser eliciada no cliente e não imposta;
  • O relacionamento cliente-profissional deve ser colaborativo e amigável;
  • A resistência pode ser reduzida ou aumentada pelas interações interpessoais: o profissional é direcional em auxiliar o cliente a examinar e resolver sua ambivalência;
  • Os clientes são responsáveis pelo seu progresso: o profissional ­atua como um facilitador no processo, estimulando e apoiando a auto eficácia do cliente.

Drogas e darknet: perspectivas para aplicação, pesquisa e política OEDT, Europol, Lisboa.

Este relatório conjunto, elaborado pelo OEDT e pela Europol, considera as últimas descobertas da pesquisa internacional, dados empíricos novos e informações para esclarecer o funcionamento dos mercados de darknet e como eles se relacionam com o comportamento criminoso. A publicação adota um foco da UE no que é um fenômeno global. É abrangente, acessível e orientado para as políticas, com o objetivo de facilitar as discussões  sobre como responder aos mercados de drogas darknet, ao mesmo tempo em que identifica áreas prioritárias que requerem atenção e onde as atividades provavelmente terão o maior impacto.

Acesse o link para conferir o material na integra!

http://www.emcdda.europa.eu/publications/joint-publications/drugs-and-the-darknet

Metanálise com evidências de 25 anos de estudos empíricos sobre Entrevista Motivacional

Outro estudo recente investigou a contribuição que a entrevista motivacional tem sobre os resultados de aconselhamento e como a ETM se compara com outras intervenções. Um total de 119 estudos foram submetidos a uma meta-análise, incluindo uso de substâncias (tabaco, álcool, drogas, maconha), comportamentos relacionados à saúde (dieta, exercício, sexo seguro), apostas e engajamento em tratamento. Em função dos grupos de comparação, a ETM produziu resultados estatisticamente significativos e duráveis na gama de pequenos efeitos (média g = 0,28). Quando comparada com tratamentos específicos, a ETM produziu resultados não significativos (média g = 0,09). ETM foi robusta em feedback (Motivational Enhancement Therapy [MET]), tempo de entrega, manualização, modo de entrega (grupal versus individual) e etnia .

 

Lundahl BW, Kunz C, Brownell C,Tollefson D, Burke BL. A Meta-Analysis of Motivational Interviewing: Twenty-Five Years of Empirical Studies. Research on Social Work Practice 2010, 20(2):137 – 160.

 

Escuta Ativa na Entrevista Motivacional

Na Entrevista Motivacional o processo de escuta ativa requer:

– Atenção cuidadosa ao que o cliente diz;

– Visualização clara do que foi dito;

– Formulação da hipótese concernente ao problema, sem suposições ou interpretações;

– Articular a hipótese por meio de uma abordagem não defensiva.

 

Design sem nome (2)

 

 

 

 

 

 

Ao refletir, o profissional se envolve na relação, mas ao mesmo tempo, deve ser fiel ao que o cliente disse.  As relações com o cliente são autênticas e devem permitir que ele exprima abertamente seus sentimentos e atitudes sobre o seu comportamento e o processo mudança. Oferecer uma escuta reflexiva requer treinamento e prática para também pensar reflexivamente. Vale destacar que uma reflexão sempre termina com um ponto final. Quando a fala do profissional é emitida com uma interrogação ou exclamação deixa de ser uma reflexão.

Para avaliar se a reflexão feita foi efetiva, basta analisar a reação do cliente: se ele expressa concordância, não apresenta postura defensiva,  sente-se estimulado a falar mais, apresenta uma postura verbal mais relaxada ou motivada, houve êxito. Por outro lado, se o cliente começa advertir ou ameaçar, persuadir, argumentar, discordar, julgar, criticar ou culpar, retrair, distrair, ser indulgente ou mudar de assunto; esses são indicativos claros de que a reflexão não foi eficaz e cabe ao profissional reformular sua maneira de atuar.

Wellness, Not Weight – Health at Every Size and Motivational Interviewing

Indicação de Livro:

Wellness, Not Weight – Health at Every Size and Motivational Interviewing

Ellen R. Glovsky, PhD, RD, LDN Idioma: Inglês Ano: 2014

O livro traz uma perspectiva nova para as questões de peso, saúde e assistência as pessoas que desejam mudar o comportamento relativo as questões de alaimentação. Enquanto muitos textos nas áreas de ciências da saúde e nutrição discutem abordagens específicas e singulares para perda de peso, este livro é o primeiro a abordar a Saúde em todos os tamanhos, Entrevista Motivacional e na não-dieta, com uma abordagem de bem-estar para a gestão da saúde. O livro é dividido em três partes: 1. explora os três conceitos básicos: argumento para um foco no bem-estar, em vez do peso corporal, o conceito de saúde em cada tamanho e Entrevista Motivacional; 2. fornece informações mais detalhadas para profissionais e acadêmicos ao apresentar a ciência por trás das abordagens, explicações claras e convincentes de potenciais falhas e riscos em uma abordagem apenas centrada no peso, incluindo as questões de imagem corporal. Esta seção do livro também fornece informações sobre como orientações dietéticas podem ser prejudiciais para os consumidores, com uma exploração especial dos perigos para as crianças. A Parte III do livro ajuda os profissionais de saúde a comunicar uma abordagem de não-dieta para clientes e pacientes, bem como uma discussão sobre o uso de técnicas de entrevista motivacional. Afastando-se das abordagens tradicionais de perda de peso, os capítulos incluídos discutem alimentação consciente, o modelo de competência no comer, passos práticos para melhorar a saúde e espiritualidade.

 

1 2 3 7