Projetos Preventivos

A Supervisão clínica é um instrumento de integração e qualificação das equipes que trabalham em serviços de saúde. No CUIDA é realizada desde o início do serviço pela Dra. Neliana B. Figlie, possibilitando aos profissionais uma reflexão do cotidiano, que por muitas vezes é imbuído de cronologia, sentimentos… que impedem uma visão mais ampla. Com a supervisão podemos perceber caminhos que podem ser utilizados contribuindo para a melhoria da qualidade das ações de promoção e tratamento. Sem esta supervisão existente há 07 anos, tenho certeza, de que não teríamos alcançado tanto êxito nos casos atendidos, e que não haveria este aprendizado que enriquece crianças, adolescentes, familiares e profissionais”.
Elizabete, assistente social, coordenadora do Projeto CUIDA

“Em conjunto com uma equipe comprometida na cidade de Joinville-SC, a Dra. Neliana vem contribuindo de forma importante, para a concretização de um projeto belíssimo, chamado de Jovens de Atitude. Sinto-me honrado em ter conhecido a Dra. Neliana e poder contar com seu vasto conhecimento no campo da prevenção de álcool, tabaco e outras drogas.”
Felipe Hansen, 29 anos, Industrial, – Projeto Jovens de Atitude – Joinville/SC.

“Conhecer e conviver um pouquinho com a Dra. Neliana, em algumas jornadas de trabalho, sempre buscando conscientizar professores e crianças para a importância da prevenção ao uso de álcool e drogas, tem sido uma experiência enriquecedora. Realmente estimulante, para quem é leigo no assunto. Obrigado pela sua contribuição”.
Julio Franco, 40 anos, jornalista – Projeto Jovens de Atitude – Joinville/SC.

“Me sinto privilegiada por conhecer uma pessoa tão meiga, simples e detentora de tanto conhecimento como a Drª Neliana. Considero inestimável a sua contribuição para a sociedade e lhe agradeço muito por me proporcionar a oportunidade de aprender e fazer parte de um projeto que atua diretamente na prevenção ao uso abusivo de álcool, tabaco e outras drogas. Que bom que você faz a diferença.”
Roseli Nabozny, 41, Projeto Jovens de Atitude – Joinville/SC.

“Poder conhecer seu trabalho em alguns congressos que participei sempre foi para mim uma experiência enriquecedora.
Conhecê-la profissionalmente e ter a honra de ser supervisionada por você num projeto que muito me orgulha, é gratificante.
Muito obrigada por dividir conosco um pouco de sua experiência profissional.”
Lisa, 43, Terapeuta Ocupacional – Projeto Jovens de Atitude- Joinville/SC.

Olha é complicado falar da Neliana, a história dela com o Jd. Ângela por exemplo. Creio que já vai para uns 12 anos. E ela sempre acreditou que a comunidade e a universidade poderiam fazer a diferença juntos. Sempre procurou motivar e incentivar as pessoas, colaboradores, familiares e pacientes que de alguma forma tiveram o privilégio de conviver com a mesma no dia a dia. Acreditou na parceria com uma ONG no Jd. Ângela que engatinhava na área de dependência quimíca e investiu seus esforços, energia, determinação, conhecimentos, na prática do bem sem idealizar retorno algum para si ou para a academia. Muitos podem falar: “Ah! É uma gotinha num universo complicado!” Pode até ser, mas como diz o Pe. Jaime quando parafraseando, lembra-nos de Gandhi: “É melhor acender um palito de fósforo do que amaldiçoar a escuridão”.
Por conta do meu vínculo na UCAD/Moradia Assistida, que em 2003 incorporou a ideia de CAPSad, não pude frequentar e acompanhar o CUIDA de perto no seu dia a dia. Mas nunca duvidei de que esta proposta faria a diferença na vida de crianças que convivem com familiares usuários de substâncias psicoativas. A confraternização de final de ano no CUIDA era algo contagiante, ver colaboradores, a população atendida e a própria Neliana em comunhão com o projeto, comemorando mais um ano que se findava.
Em 2005 tivemos inúmeros abalos nos projetos sociais da citada ONG, mas a vontade de trabalhar em benefício do próximo prevaleceu. Não “caímos”, pelo contrário, acredito que o atendimento na área da dependência quimíca ficou mais forte ainda. Continuamos com muitas pedras no percurso, mas quando sai da entidade em 2009, saí com o coração partido, mas na certeza que a luta valeu a pena. E espero que a missão do CUIDA siga firme e forte. Eu acho fundamental , termos fé e esperança num amanhã melhor, mas fé sem caridade é uma fé vazia. Não vislumbro um ideal a ser conquistado sem ambas. E acredito que a Neliana também.
Sérgio Luís Ferreira, Ex-Psicólogo-Coordenador da UCAD/Moradia Assistida/CAPSad Jd. Ângela

Dinâmicas de Grupo e Atividades Clínicas Aplicadas ao Uso de Substâncias Psicoativas

Autores: Neliana Buzi Figlie,  Roberta Payá e colaboradores.

Grupo Gen – Editora Roca (2013) – 2a edição.

Conjunto de ferramentas práticas para os profissionais que trabalham com grupos no tratamento da dependência química composto por atividades clínicas e dinâmicas que podem ser utilizadas tanto individualmente quanto em grupo.

O livro Dinâmicas de Grupo Aplicadas o Tratamento da Dependência Química deu origem ao livro atual, que foi acrescido de atividades clínicas que podem ser utilizadas tanto individualmente quanto em grupo e com familiares. A utilidade da leitura desta obra, Dinâmicas de Grupo e Atividades Clínicas Aplicadas ao Uso de Substâncias Psicoativas, consiste em adquirir um conjunto de ferramentas práticas para os profissionais que trabalham com grupos no tratamento da dependência química e que acreditam na ampliação de recursos técnicos como forma de aprimoramento e crescimento para lidar com os desafios da área.

Com um roteiro claro e objetivo e com a colaboração de profissionais de referência da área, este livro foi organizado em três partes, o que inclui referencial teórico básico para quem pretende trabalhar com dependência química e com grupos; aplicação e procedimentos de 261 dinâmicas de grupo para as diversas fases do tratamento; e atividades para o trabalho com populações específicas, dentre elas: adolescentes, filhos de dependentes químicos, mulheres, diversidade sexual, pacientes com danos cognitivos, idosos e pacientes com comorbidades psiquiátricas devido ao uso de substâncias.

DADOS TÉCNICOS

ISBN: 978-85- 4120-168-1
Páginas: 320
Formato: 17 X 24cm
Peso: 1.76 kg

ÍNDICE:

Parte 1 – Conceitos teóricos e práticos da terapia de grupo com usuários de substâncias psicoativas

Capítulo 1 – Conceitos fundamentais em dependência de substâncias psicoativas e critérios diagnósticos
Capítulo 2 – Importância do grupo no tratamento da dependência de substâncias
Capítulo 3 – Funcionamento da terapia de grupo
Capítulo 4 – Propriedades das dinâmicas de grupo

Parte 2 – Dinâmicas de grupo e atividades clínicas – aplicação e procedimentos

Seção 1 – Início de tratamento/Início ou término de ano
Seção 2 – Conceitos gerais sobre dependência de substâncias
Seção 3 – Motivação para tratamento
Seção 4 – Prevenção de recaídas
Seção 5 – Integração de grupo
Seção 6 – Autoestima e autoconhecimento
Seção 7 – Treinamento em habilidades de enfrentamento e resolução de problemas
Seção 8 – Comunicação

Parte 3 – Dinâmicas para populações específicas

Seção 9 – Família e casal
Seção 10 – Adolescentes e o abuso de álcool e substâncias ilícitas
Seção 11 – Filhos de dependentes de substâncias psicoativas
Seção 12 – Mulheres e a dependência de substâncias psicoativas
Seção 13 – Idosos e uso de substâncias
Seção 14 – Diversidade sexual e moradores de rua
Seção 15 – Portadores de danos cognitivos e uso de substâncias
Seção 16 – Pacientes com transtorno de uso de substâncias psicoativas e comorbidades psiquiátricas

 

=====================================================================================================

Adquira seu exemplar.

Para mais informações, entre em contato pelo telefone (11) 3807-3327  ou e-mail: contato@nelianafiglie.com.br

 

 

Aconselhamento em Dependência Química – Terceira Edição

 

Autores: Neliana Buzi Figlie, Selma Bordin, Ronaldo Laranjeira e colaboradores.

Aconselhamento em Dependência Química, em sua terceira edição,  traz a atualização necessária aos profissionais da área da saúde que desejam aperfeiçoar o cuidado a dependentes de álcool e outras substâncias.

Com linguagem clara e didática, apresenta as substâncias mais comuns de consumo abusivo e, assim, facilita o aconselhamento pelos profissionais em atividade clínica e assistencial, além de auxiliar no estabelecimento de condições de reabilitação aos pacientes em tratamento.

Elaborados por especialistas, os capítulos estão divididos de acordo com os temas mais relevantes e atuais na área da dependência química (bases teóricas do uso de substâncias, tratamento e noções de prevenção, organização de serviços e saúde pública), garantindo a todos os profissionais a oportunidade de ampliar sua capacitação e conhecimentos.

DADOS TÉCNICOS

ISBN: 978-85-277-2695-5
Páginas: 554
Edição: 3
Tamanho: 17 x 24cm
Peso: 1,03 Kg

ÍNDICE:

1. Bases Teóricas relacionadas dependência e consumo nocivo de álcool, tabaco e demais substâncias psicoativasCapítulo 1 | Sistemas Diagnósticos em Dependência Química | Conceitos Básicos e Classificação Geral
Capítulo 2 | Neurobiologia da Dependência Química
Capítulo 3 | Álcool
Capítulo 4 | Tabaco
Capítulo 5 | Cocaína
Capítulo 6 | Crack
Capítulo 7 | Opioides
Capítulo 8 | Alucinógenos
Capítulo 9 | Maconha
Capítulo 10 | Anfetaminas
Capítulo 11 | Solventes e Inalantes
Capítulo 12 | Sedativo-hipnóticos
Capítulo 13 | Esteroides Anabolizantes
Capítulo 14 | Outras Drogas de Abuso
Capítulo 15 | Cafeína

Parte 2 | Bases Teóricas Relacionadas com a Clínica | Tratamento da Dependência Química
Capítulo 16 | Como Organizar uma História Clínica
Capítulo 17 | Principais Comorbidades Psiquiátricas na Dependência Química
Capítulo 18 | Terapia Cognitiva
Capítulo 19 | Motivação
Capítulo 20 | Entrevista Motivacional
Capítulo 21 | Prevenção de Recaída
Capítulo 22 | Treinamento de Habilidades Sociais e de Enfrentamento de Situações de Risco
Capítulo 23 | Gerenciamento de Caso Aplicado ao Tratamento do Consumo Abusivo e Dependência de Substâncias
Capítulo 24 | Filhos de Dependentes Químicos
Capítulo 25 | Consumo Abusivo de Álcool, Tabaco e Outras Drogas na Adolescência
Capítulo 26 | Dependência Química na Mulher
Capítulo 27 | Abordagem Familiar em Dependência Química
Capítulo 28 | Psicoterapia de Grupo no Tratamento da Dependência Química
Capítulo 29 | Grupos de Autoajuda no Tratamento da Dependência Química
Capítulo 30 | Dependência Química e Portador do Vírus da Imunodeficiência Humana ou de Infecções Sexualmente Transmissíveis
Capítulo 31 | Dependência Química no Idoso
Capítulo 32 | Visita Domiciliar | Intervenção Motivacional no Tratamento da Dependência Química
Capítulo 33 | Disfunções Sexuais e Dependência Química
Capítulo 34 | Dependência Química em Outras Populações
Capítulo 35 | Transtornos do Controle do Impulso e Dependências Comportamentais
Capítulo 36 | Saúde Mental dos Profissionais | Cuidando de Quem Cuida

Parte 3 | Noções Gerais de Prevenção, Organização de Serviços e Políticas Públicas Quanto ao Consumo de Substâncias Psicoativas
Capítulo 37 | Prevenção do Consumo Abusivo de Álcool e Outras Drogas
Capítulo 38 | Redução de Danos | Uma Abordagem Legítima para Lidar com o Consumo de Substâncias Psicoativas
Capítulo 39 | Organização de Serviços de Tratamento para Dependência Química
Capítulo 40 | Comunidade Terapêutica no Tratamento da Dependência Química
Capítulo 41 | Políticas Públicas Relacionadas com as Bebidas Alcoólicas
Capítulo 42 | Políticas Públicas para o Controle do Tabagismo
Glossário
Índice Alfabético

=====================================================================================================

Adquira seu exemplar.

Para mais informações, entre em contato pelo telefone (11) 3807-3327  ou e-mail: contato@nelianafiglie.com.br

 

 

Família e Dependência Química: Uma Experiência de Prevenção com Crianças e Adolescentes no Jardim Ângela

Autores: Neliana Buzi Figlie, Elizabete Milagres, Jaime Crowe e colaboradores.

Editora Roca (2009).

Este livro procura trazer informações sobre crianças e adolescentes que acabam sendo a vítima indireta do consumo de álcool e outras drogas, mas que sofre diretamente as conseqüências deste envolvimento frente as consequências geradas pela dependência química na família. 

Nossa intenção é dividir com os interessados a experiência de 7 anos de existência do serviço CUIDA (Centro Utilitário de Intervenção e Apoio aos Filhos de Dependentes de Álcool e outras Drogas).

Este livro procura trazer informações sobre crianças e adolescentes que acabam sendo a vítima indireta do consumo de álcool e outras drogas, mas que sofre diretamente as conseqüências deste envolvimento, uma vez que não tiveram o livre arbítrio para dizer “sim” ou “não” frente às conseqüências geradas pela dependência química na família. Temos histórias felizes e muito tristes para compartilhar, mas o mais importante é pensar que temos algo a fazer no âmbito da saúde, cujo custo benefício é surpreendente, não só no sentido das vidas que são literalmente salvas, mas como diminuição de morbidade e mortalidade, bem como diminuição da violência física, doméstica e psicológica.

O livro é dividido em 9 capítulos, sendo que os quatro iniciais fornecem um panorama geral do publico alvo e a estrutura de funcionamento do CUIDA. Os capítulos restantes retratam em detalhes a proposta de trabalho desenvolvida. Por fim, contamos com uma seção com todos os anexos dos serviço, que fornecem uma idéia clara da rotina administrativa, bem como algumas entrevistas com alguns dos assistidos no CUIDA.

DADOS TÉCNICOS

ISBN:978-85-7241-813-3
Páginas: 217
Edição: 1
Tamanho: 17x24cm

ÍNDICE:

1º capítulo – CUIDA: Lições Aprendidas em Sete anos de Experiência
2º capítulo – Comunidade e a Rede Social na Prevenção do Uso de Substâncias
3º capítulo – A realidade das Crianças e Adolescentes que convivem com a Dependência Química no Jardim Ângela
4º capítulo – Histórias de Vida
5º capítulo –Intervenção com as crianças
6º capítulo –Intervenção com os adolescentes
7º capítulo – Intervenção com familiares
8º capítulo –Transtornos Psiquiátricos em Familiares e Filhos de Dependentes Químicos
9º capítulo –Quadros Clínicos em Crianças e Adolescentes que convivem com a Dependência Química

Anexos:

Anamnese;
Plano de tratamento;
Termo de compromisso para a participação em oficinas;
Termo de compromisso para tratamento;
Encaminhamento; Inscrição Inicial;
Registro de Presença Diário;
Sugestões de pautas;
Recontrato de tratamento;
Comunicado de Desligamento;
Inscrição;
Oficina de Informática;
Campanha de Natal;
Logotipo;
Folder;
Autorização;
Identificação do Cuidador.

=====================================================================================================

Distribuição Gratuita.

Entre em contato com a secretária do Consultório, pelo telefone (11) 3807-3327 para retirada presencial.

 

Aula de Entrevista Motivacional

VIII Congresso Interamericano de Psicologia da Saúde e III Congresso Internacional de Neuropsicologia e Ciências. Neuropsicologia e Dependencias: Diagnostico e Tratamento. FMUSP, 31/05/2015, São Paulo – SP.

Palestra: Entrevista Motivacional

O surgimento da entrevista motivacional (EM), desde 1983, quando foi lançada, representa uma contribuição efetiva no cenário do tratamento da dependência química, uma vez que revisões recentes atestam sua eficácia.

resitencia-blogEssa técnica, originalmente descrita pelos psicólogos William Miller e Stephen Rollnick tem como objetivo a modificação do comportamento de risco por meio da exploração e resolução da ambivalência dos clientes, quando estes querem e ao mesmo tempo, não querem se comprometer a mudar determinado comportamento.

Inicialmente, em sua primeira edição, a EM concentrava-se em pessoas com problemas relacionados ao álcool e outras drogas. Contudo, logo após a sua primeira publicação, várias outras pesquisas foram realizadas e atualmente é possível encontrar vários ensaios clínicos randomizados sobre a técnica em projeção de ascenção. Percebeu-se, então, que a EM poderia ampliar seu campo de intervenção, sendo encontradas pesquisas sobre traumatismo craniano, saúde cardiovascular, odontologia, diabetes, dietas, transtornos da alimentação e obesidade, família e relacionamentos, jogo patológico, promoção de saúde, dentre outros.

Em sua primeira publicação, em 1985, a EM chama à atenção para os seus princípios, estratégias e armadilhas. Em sua segunda edição, em 2002, os autores propuseram a ideia de que os profissionais compreendessem e trabalhassem o “espírito” da EM, que é descrito como colaborativo, evocativo e com respeito pela autonomia do cliente.

Em 2008, Miller e Rollnick ousam em sua proposta e publicaram “Entrevista Motivacional no Cuidado da Saúde”, ampliando o público-alvo que pode se beneficiar da abordagem. Contudo, após tantas adaptações, os autores ainda pensaram que seriam necessárias mais mudanças para a real compreensão e efetividade da EM e fizeram uma nova publicação em 2013, na qual propuseram significativas mudanças paradigmáticas.

Trata-se de uma evolução no campo das psicoterapias, pois até então vários tipos de tratamento pregavam que só poderiam ajudar o cliente se este desejasse. Nesse contexto, é importante dar-se conta de que a hesitação faz parte da natureza humana e nem todos os clientes estarão preparados, desejosos e habilitados para mudar algum hábito ou comportamento.

Para esses clientes, pouco preparados, desejosos e habilitados para mudar algum comportamento de risco, a EM propõe-se a ajudar a pessoa a resolver sua ambivalência/conflito e desta forma tomar uma decisão que almeje estabilidade emocional.

Boas Práticas no Tratamento do Uso e Dependência de Substâncias

Autores: Daniel Cordeiro; Neliana Buzi Figlie; Ronaldo Laranjeira e colaboradores.

Editora Roca (2007).

Este livro visa instrumentalizar os profissionais no sentido de aprimorar as habilidades diagnósticas e clínicas dentro do universo do tratamento do consumo de substâncias, de modo a viabilizar as lições aprendidas através da experiência teórica e prática de seus autores.

É inegável que o uso de substâncias atinge a todos, independente de sexo, raça ou classe social:
– Morbidade e mortalidade;
– Internações hospitalares;
– Violência;
– Acidentes, entre outros.

Trata-se de uma questão de saúde publica com conseqüências na vida familiar, social, profissional e na saúde de adultos, adolescentes e crianças.

Este livro visa instrumentalizar os profissionais no sentido de aprimorar as habilidades diagnósticas e clínicas dentro do universo do tratamento do consumo de álcool, maconha e cocaína, de modo a viabilizar as lições aprendidas através da experiência teórica e prática de seus autores, desde avaliação clínica, tratamento e conduta farmacológica, psiquiátrica e psicológica, com apresentação de casos clínicos e abordagens psicossociais.

DADOS TÉCNICOS

ISBN: 978-85-7241-712-9
Páginas: 248
Edição: 1
Tamanho: 17×24 cm

ÍNDICE:

1. Seção: Boas práticas no Tratamento de Usuários Nocivos e Dependentes de Álcool
1.1 Introdução;
1.2 Organização de serviços para o tratamento do uso nocivo e dependência do álcool;
1.3 Avaliação clínica de usuários nocivos e dependentes de álcool;
1.4 Tratamento Farmacológico e Desintoxicação do uso nocivo e dependência do álcool;
1.5 Tratamento das comorbidades psiquiátricas e dependência de álcool;
1.6 Terapias Psicológicas de usuários e dependentes de álcool;
1.7 Caso Clínico.
2. Seção: Boas práticas no Tratamento de Usuários e Dependentes da Cocaína e Crack
2.1 Introdução;
2.2 Organização de serviços para tratamento de usuários e dependentes de cocaína e crack;
2.3 Avaliação clínica de usuários e dependentes de cocaína e crack;
2.4 Tratamento farmacológico de usuários e dependentes de cocaína e crack;
2.5 Tratamento das comorbidades psiquiátricas de usuários e dependentes de cocaína e crack;
2.6 Terapias Psicológicas de usuários e dependentes de cocaína e crack.
3. Seção: Boas práticas no Tratamento de Usuários e Dependentes da Maconha
3.1 Introdução;
3.2 Organização de serviços para tratamento de usuários e dependentes de maconha;
3.3 Avaliação clínica de usuários de maconha;
3.4 Tratamento farmacológico de usuários e dependentes de maconha;
3.5 Tratamento das comorbidades psiquiátricas de usuários e dependentes de maconha;
3.6 Efeitos do uso da maconha na cognição e contribuições da neuropsicologia;
3.7 Terapias Psicológicas de usuários e dependentes de maconha;
3.8 Caso Clínico.
4. Seção: Boas práticas nas abordagens psicossociais da dependência de substâncias
4.1 Introdução;
4.2 Entrevista Motivacional;
4.3 Prevenção de Recaída;
4.4 Treinamento de Habilidades Sociais;
4.5 Terapia Familiar;
4.6 Grupo de Auto-Ajuda: Amor Exigente.

=====================================================================================================

Adquira seu exemplar!

Entre em contato com a secretária do Consultório, pelo telefone (11) 3807-3327 .

 

Palestra sobre Filhos de Dependentes

III Encontro Brasileiro de AC e TCC. Com casal e família: relacionamentos amorosos. CEPES e AMAMOC, 23/05Q2015, São Paulo – SP.

Palestra: Filhos de Dependentes e sua exposição

filhos-blogConviver com um dependente químico é sempre um grande desafio. Crianças e adolescentes que estão expostos a essa realidade podem apresentar diversas vulnerabilidades emocionais, psiquiátricas, cognitivas e comportamentais. Esses fatores também afetam outros membros da família, o que gera interações negativas e modificações importantes nas relações.

Este desafio pode atuar desenvolvendo competências para lidar com situações estressantes e soluções de problemas, bem como desestruturar o crescimento saudável de uma criança e adolescente, podendo levar ao desenvolvimento do alcoolismo e de outros quadros psiquiátricos como depressão, ansiedade e transtorno de conduta.

Além disso, pode desencadear problemas físico-emocionais, como baixa autoestima, dificuldade de relacionamento, ferimentos acidentais, abuso físico e sexual. Neste cenário, ressalto a necessidade de ampliar os investimentos em programas de prevenção para diminuir o impacto da dependência química nas relações familiares e proporcionar à essas crianças e adolescentes um desenvolvimento biopsicossocial mais próximo do saudável.

1 14 15 16