Home » Blog » Entrevista Motivacional: Um Estilo de Aconselhamento Valioso no Tratamento do Uso de Substâncias

Entrevista Motivacional: Um Estilo de Aconselhamento Valioso no Tratamento do Uso de Substâncias

A Entrevista Motivacional tem se mostrado um estilo de aconselhamento efetivo no tratamento da dependência química, com metodologia que permite ser aplicada por qualquer profissional treinado. Pode ser utilizada sozinha, em combinação com outros referenciais teóricos, ou mesmo como prelúdio para outros tratamentos, representando, nesse caso, uma base motivacional para os mesmos. Por se tratar de uma abordagem que tem uma meta específica, que é resolver a ambivalência, é compreendida com caráter de intervenção breve. Vale destacar que não se trata de uma linha de psicoterapia e atualmente, tem sido amplamente difundida nas áreas da saúde, social, justiça e educação, tanto na modalidade individual quanto grupal.

A Entrevista Motivacional (ETM) é um estilo de comunicação colaborativo e orientado para um objetivo específico, que é o de favorecer a mudança. Tem como finalidade fortalecer a motivação pessoal para um compromisso com a mudança, recolhendo e explorando as próprias razões da pessoa, dentro de uma atmosfera de aceitação e compaixão. Desde 1983, quando foi lançada, vêm sofrendo modificações, a fim de tentar se adaptar às diversas conjunturas humanas, bem como à complexidade que pauta a relação profissional-cliente.

A postura na Entrevista Motivacional implica a presença de quatro atitudes preponderantes do profissional em relação ao seu cliente: parceria, aceitação, evocação e compaixão. A metodologia da ETM consiste na utilização de reflexões, reforços positivos, resumos e perguntas abertas em uma relação 2-1, de modo que o profissional a estrutura seu diálogo com o cliente evitando perguntas em demasia, e com isso, o cliente tem condições propícias para falar ao máximo o que sente, possibilitando modificações comportamentais. Por fim, a EM atualmente é descrita na confluência de quatro relação ao comportamento prejudicial e à processos sequenciais a serem trabalhados pelo profissional com o cliente: Engajamento; Foco; Evocação e Planejamento.