Home » Blog » O Papel da Empatia no Burnout, Satisfação por Compaixão e Estresse Traumático em Assistentes Sociais

O Papel da Empatia no Burnout, Satisfação por Compaixão e Estresse Traumático em Assistentes Sociais

Os assistentes sociais correm o risco de sofrer de burnout e estresse traumático secundário (STS) como resultado da natureza de seu trabalho e dos contextos em que trabalham. Pouca atenção tem sido dada aos fatores sob o controle de um assistente social que podem prevenir burnout e STS e aumentar a satisfação por compaixão. A empatia, que é uma combinação de processos fisiológicos e cognitivos, pode ser uma ferramenta para ajudar a lidar com o burnout e STS. Este artigo relata os resultados de um estudo de assistentes sociais (N = 173) que explorou a relação entre os componentes de empatia, burnout, STS e satisfação por compaixão usando o Índice de Avaliação de Empatia e os instrumentos de Qualidade de Vida Profissional. Foi hipotetizado que níveis mais altos de empatia estariam associados a níveis mais baixos de burnout e STS e níveis mais altos de satisfação por compaixão. Os resultados sugerem que os componentes da empatia podem prevenir ou reduzir o burnout e STS enquanto aumentam a satisfação com a compaixão, e que a empatia deve ser incorporada ao treinamento e educação ao longo da carreira de um assistente social.

Wagaman,M.A., Geiger, J.M., Shocley, C.,Segal, E.A. (2018). The Role of Empathy in Burnout, Compassion Satisfaction,and Secondary Traumatic Stress among Social Workers. Social Work, 60(3) p.201-209. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

14 − 3 =