Terapia Comportamental Dialética e a Entrevista Motivacional: convergência conceitual, compatibilidade e estratégias para integração

 

A terapia comportamental dialética (DBT) e a entrevista motivacional (EM) são duas intervenções psicossociais amplamente usadas e eficazes. Um número imenso e crescente de estudos examina DBT, EM ou adaptações dessas abordagens em diversos contextos de tratamento e em várias populações clínicas. Como o DBT e a EM estão em alta demanda, é provável que profissionais encontrem uma ou ambas abordagens ao longo de suas carreiras. Embora o EM e a DBT tenham evoluído inicialmente em contextos distintos para diferentes populações, essas abordagens compartilham vários princípios fundamentais comuns. Cada uma fornece estratégias distintas e complementares para aumentar a motivação e a capacidade de mudança dos clientes. Para alguns, uma aplicação integrada ou sequenciada da EM e DBT pode aprimorar o atendimento ao cliente. O presente artigo destaca áreas de divergências, convergências e oportunidades de integração e oferece dicas práticas para aplicar DBT e EM em conjunto.

Referência:

Erin A. Kaufman, Antoine Douaihy, Tina R. Goldstein. Dialectical Behavior Therapy and Motivational Interviewing: Conceptual Convergence, Compatibility, and Strategies for Integration. Cognitive and Behavioral Practice August 2019. https://doi.org/10.1016/j.cbpra.2019.07.004

Fala de Permanência ou de sustentação: declarações contra a mudança

 

Fala de mudança: trata-se de qualquer discurso do cliente que favoreça o movimento em direção à uma meta de mudança específica. O cliente pode listar as vantagens ou as desvantagens em mudar; ou expressar intenção em relação à mudança.

Fala de Permanência: Qualquer discurso do cliente que favorece a situação de risco ao invés de movimentar em direção ao objetivo de mudança

Fala de SustentaçãoComportamento interpessoal que reflete a dissonância na relação do trabalho terapêutico. A Fala de sustentação  não constitui, em si, discórdia. Exemplos: argumentar, interromper, discordar ou ignorar.

Como atuar:

    • Sob o espectro da fala de permanência ou sustentação, o cliente está a um passo da dissonância;  e as estratégias de atuação são semelhantes as utilizadas mediante falas de mudança, só que o profissional foca o lado – da ambivalência.
    • Utilize a escuta reflexiva (tente utilizar o “as reflexões ampliadas” para enfatizar, então se afaste da emoção aversiva e da fala de  permanência ou sustentação).
    • Perguntas fechadas correm o risco de reforçar a resposta aversiva.
  • Enfatizar a escolha pessoal é de fundamental importância.

Um Estudo Exploratório sobre Supervisão em Entrevista Motivacional

 

Embora se acredite que a supervisão seja uma estratégia importante para o treinamento profissionais, pouco se sabe sobre como deve ser organizada

e conduzida para promover a fidelidade na implementação.

Objetivo do estudo: explorar comportamentos do supervisor que possam facilitar a proficiência dos orientandos na Entrevista Motivacional.

 

Método: estudo exploratório, com dez supervisores de uma intervenção de prevenção primária da obesidade infantil responderam a entrevistas semiestruturadas sobre seus comportamentos de supervisão. Um método misto abordagem foi usado: dados qualitativos e quantitativos foram coletados e analisados.

Resultados: Os supervisores relataram o uso de várias fontes de informação para avaliar e fornecer feedback sistemático sobre o desempenho dos orientandos. No entanto, a maioria não usou as medidas objetivas disponíveis de proficiência como fonte primária. Além disso, metade dos supervisores argumentou que feedback objetivo pode ter um efeito punir nos orientandos.

Conclusões: Variações no uso de componentes de supervisão que pesquisas anteriores propuseram serem potencialmente influentes no processo e nos resultados podem levar a uma supervisão menos eficiente. As conclusões sugerem que as atividades de supervisão apropriadas conduzidas em cada sessão de supervisão requerem princípios claros de supervisão que especificam o conteúdo e o procedimento da supervisão, bem como o monitoramento regular da aderência nas sessões de supervisão.

Referência:

Beckman M, Bohman B, Forsberg L, Rasmussen F, Ghaderi A. Supervision in Motivational Interviewing: An Exploratory Study. Behav Cogn Psychother. 2017 Jul;45(4):351-365. doi: 10.1017/S135246581700011X.

Aconselhamento centrado no cliente : ou como chegar lá quando você não está certo para onde está indo.

Vale a pena ler ….

 

Aconselhamento centrado no cliente : ou como chegar lá quando você não está certo para onde está indo.

 

Christopher C. Wagner, PhD

A mudança é mais ampla do um comportamento e, muitas vezes, começa antes que uma meta ou plano seja concebido, com os clientes abrindo-se pela primeira vez à vaga possibilidade de preferência. A colaboração é uma característica do espírito da Entrevista Motivacional, e a direção terapêutica pode ser desenvolvida de forma colaborativa em EM por meio do processo de evocar valores, desejos, necessidades, esperanças e objetivos do cliente. Os profissionais podem inicialmente ajudar os clientes a encontrar uma vida melhor e restringir o foco a metas de mudança discretas, quando comportamentos específicos do cliente são identificados de forma colaborativa como obstáculos para alcançar uma vida melhor ou quando a ausência de comportamentos é identificada como risco no progresso em direção a mudança.

 

Motivational Interviewing: Training, Research, Implementation, Practice www.mitrip.org ISSN 2160-584X (online) Vol. 1 No. 1 (2012) DOI 10.5195/mitrip.2012.22

Client-centered Direction

Or How to Get There When You’re Not Sure Where You’re Going

 

“Oráculo de Prevenção: Guia Prático”

“Oráculo de Prevenção: Guia Prático”

Um jogo interativo para desconstruir mitos e fortalecer verdades

Autores: Livia Guimaraes, Neliana Buzi Figlie e colaboradores

Editora: Artesã (2018)

O Oráculo de Prevenção é uma ferramenta abrangente desenvolvida para uso de diversos profissionais e áreas de atuação. Ele pode ser utilizado por professores no ambiente escolar, por profissionais das áreas da saúde e da assistência, em serviços de atenção a dependência química ou correlatos, por profissionais no setting clinico e/ou terapêutico, por profissionais que atuam em empresas e, também, pelos pais com seus filhos e demais familiares a oferecer um espaço de conversa e ressignificação de conceitos, crenças e culturas.

As propostas de prevenção ao uso abusivo de drogas frequentemente são aversivas e confrontadoras e pesquisas aliadas a experiência demonstraram que, desta forma, ela não funciona. Assim, estratégias que promovam o protagonismo, o diálogo, o autoconhecimento e também o interativo e o lúdico são sempre bem aceitas.

Trata-se de um jogo interativo, composto por: um livro, que oferece uma intervenção pautada na Entrevista Motivacional, que é um estilo de aconselhamento utilizado na área de saúde, educação, social e justiça; e um baralho com 103 cartas, que tem como proposta estabelecer uma conversa colaborativa de forma leve e lúdica sobre diversos fatores de risco e de proteção relacionados à promoção de saúde e prevenção do consumo de substâncias psicoativas.

DADOS TÉCNICOS

ISBN: 978-85-88009-92-9

Páginas:200

Edição: 1

Tamanho: 21 cm

Baralho:103 cartas

Editora Artesã

ÍNDICE:

* Dedicatória

* Agradecimentos

* Introdução

* Fundamentos Básicos de Prevenção ao uso Nocivo de Álcool, Tabaco e outras Drogas

* Como comunicar a prevenção: Motivar para a Mudança

* Como intervir para motivar: Aconselhamento Individual Breve

* Como intervir para motivar: Aconselhamento Grupal Breve

* Baralho da Prevenção: Guia Prático

* Anexo: Mitos e Verdades do Uso de Substâncias Psicoativas

=======================================================

Adquira seu exemplar!

Para mais informações, entre em contato: (11) 3807-3327 contato@nelianafiglie.com.br

www.livrariadopsicologo.com.br