Home » Blog » Recomendações práticas sobre como medir a fidelidade da Entrevista Motivacional em ensaios clínicos randomizados

Recomendações práticas sobre como medir a fidelidade da Entrevista Motivacional em ensaios clínicos randomizados

 

Recomendações práticas sobre como medir a fidelidade da Entrevista Motivacional em ensaios clínicos randomizados

Muitos ensaios clínicos randomizados, nos quais a entrevista motivacional (EM) é uma intervenção fundamental, não prevê a avaliação da fidelidade ao tratamento. Essa lacuna metodológica torna impossível distinguir entre intervenções de EM de alta e baixa qualidade e, consequentemente, saber se EM contribuiu para quaisquer efeitos de intervenção. Este artigo faz algumas recomendações práticas para a coleta, seleção, codificação e relatório de dados de fidelidade da Entrevista Motivacional,  e sugere para a avaliação o Motivational Interviewing Treatment Integrity Code (MITI Code) .

 

O que é o MITI Code?

O MITI avalia os processos da Entrevista Motivacional, incluindo engajamento, foco, evocação e planejamento.

O MITI possui dois componentes:  pontuação global e a comportamental.

Pontuação global: exige que o codificador atribua um único número em uma escala de um a cinco pontos para caracterizar uma interação inteira. Essas pontuações destinam-se a avaliar o profissional.

Pontuação global ou às vezes chamada de “Gestalt possui quatro dimensões:

  • Cultivando a Fala de Mudança
  • Suavizando a Fala de Permanência ou Sustentação,
  • Parceria
  • Empatia

Isso significa que cada avaliador do MITI terá quatro scores para efetuar a pontuação global.

 

Pontuação Comportamental:  exige que o codificador registre instâncias de comportamentos específicos do entrevistador. Esses registros em execução ocorrem desde o início até o final do atendimento.

O codificador não precisa julgar a qualidade geral do evento, como acontece com as Pontuações Globais, mas simplesmente avalia o comportamento do entrevistador.

Normalmente, as pontuações globais e as comportamentais são avaliadas em um único áudio de gravação. Para a codificação é recomendada uma amostra segmento aleatória de 20 minutos. Segmentos mais curtos ou mais longos podem ser usados, mas é necessário cuidado na atribuição e interpretação das pontuações globais para amostras maiores ou menores.

Deve-se prestar muita atenção para garantir que a amostragem dos segmentos seja verdadeiramente aleatória, especialmente em ensaios clínicos, para que inferências adequadas sobre a integridade geral da intervenção em EM possam ser avaliadas.

A gravação pode ser interrompida se necessário, mas a parada e a reinicialização excessivas durante a codificação pode interromper a capacidade do codificador de formar uma impressão da Gestalt, necessária para os códigos globais.

Os codificadores podem, portanto, decidir ouvir a gravação duas vezes para a codificação. Nesse caso, a primeira passagem deve ser usada para as pontuações globais e a segunda para pontuação de comportamento.

Referência:

Jelsma JG, Mertens VC, Forsberg L, Forsberg L. How to Measure Motivational Interviewing Fidelity in Randomized Controlled Trials: Practical Recommendations. Contemp Clin Trials. 2015 Jul;43:93-9. doi: 10.1016/j.cct.2015.05.001.

 

O que é o MITI Code?

O MITI avalia os processos da Entrevista Motivacional, incluindo engajamento, foco, evocação e planejamento.

O MITI possui dois componentes:  pontuação global e a comportamental.

Pontuação global: exige que o codificador atribua um único número em uma escala de um a cinco pontos para caracterizar uma interação inteira. Essas pontuações destinam-se a avaliar o profissional.

Pontuação global ou às vezes chamada de “Gestalt possui quatro dimensões :

  • Cultivando a Fala de Mudança
  • Suavizando a Fala de permanência ou Sustentação,
  • Parceria
  • Empatia

Isso significa que cada avaliador do MITI terá quatro scores para efetuar a pontuação global.

 

Pontuação Comportamental:  exige que o codificador registre instâncias de comportamentos específicos do entrevistador. Esses registros em execução ocorrem desde o início até o final do atendimento.

O codificador não precisa julgar a qualidade geral do evento, como acontece com as Pontuações globais, mas simplesmente avalia o comportamento do entrevistador.

Normalmente, as pontuações globais e as comportamentais são avaliadas em um único áudio

de gravação. Para a codificação é recomendada uma amostra segmento aleatória de 20 minutos. Segmentos mais curtos ou mais longos podem ser usados, mas é necessário cuidado na atribuição e interpretação das pontuações globais para amostras maiores ou menores.

Deve-se prestar muita atenção para garantir que a amostragem dos segmentos seja verdadeiramente aleatória, especialmente em ensaios clínicos, para que inferências adequadas sobre a integridade geral da intervenção em EM  possam ser avaliadas.

A gravação pode ser interrompida se necessário, mas a parada e a reinicialização excessivas durante a codificação pode interromper a capacidade do codificador de formar uma impressão da Gestalt, necessária para os códigos globais.

Os codificadores podem, portanto, decidir ouvir a gravação  duas vezes para a codificação. Nesse caso, a primeira passagem deve ser usada para as pontuações globais e a segunda para pontuação de comportamento.