A arte de Ensinar Entrevista Motivacional I

Conceitos-chave para se tornar um Entrevistador Motivacional eficaz são:

  • Aprender e Ensinar EM é complexo
  • Observe-se e avalie-se
  • Obtenha coaching e feedback
  • Observe outros treinadores de EM
  • Mantenha-se atualizado
  • Mantenha suas habilidades clínicas de EM afiadas (PARR)

EM é simples, mas não é fácil. Inicialmente, a EM parece básica, mas em sua essência é estratégica e sofisticada e, como tal, este estilo de comunicação requer mais do que um conjunto de slides para ensiná-la.

O treinador de EM responde à natureza complexa tanto da pessoa quanto dos alunos, integrando a orientação centrada no aluno e a orientação/direção do ensino com:

. Destreza

. Flexibilidade

. Presença

. Intuição

. Habilidade

. Estratégia

. Coração

Primeiro Passo

Assistir a gravações de vídeo de si mesmo oferece uma oportunidade única de treinamento em EM. Ao se observar, você estuda e aprende com suas fraquezas, permitindo que você se torne mais confiante.

Nem sempre é confortável. A câmera não mente! É importante gerenciar seu crítico interno (superego) e não se martirizar. Em vez disso, concentre-se em pontos fortes e áreas de crescimento potencial e melhoria.

Formalize observações de si mesmo usando uma ferramenta de codificação e avaliação do treinador.

MITA: Motivational Interviewing Trainer Assessment

Considere usar o MITA para registrar, analisar e avaliar todos os aspectos – ou partes específicas – de sua apresentação. Semelhante ao MITI (Motivational Interviewing Integridade do Tratamento), o MITA é dividido nas seguintes seções:

  • Classificações globais de princípios orientadores
  • Estilo de facilitação
  • Contagens de comportamento
  • Abordagens de aprendizagem multimodal

Referência:

The art of Teaching Motivational Interviewing – A Resource for MINT Trainers

(A 20-year Retrospective of Key Learnings)

Steven Malcolm Berg-Smith, MS, CWP

MINT member (Santa Fe, 1994)

Copyright © 2014 by Steven Malcolm Berg-Smith

Entrevista motivacional e estágios de mudança: Boas práticas para profissionais no tratamento do abuso de substâncias

Este recurso prático para mudança de comportamento e tratamento do abuso de substâncias pode ser usado para sessões individuais e em grupo, adolescentes, famílias e clientes com comorbidades psiquiátricas.

Como fazer um cliente passar da pré-contemplação para a contemplação? A entrevista motivacional é um estilo de aconselhamento centrado no cliente que provoca mudança de comportamento, ajudando os clientes a explorar e resolver a ambivalência em relação ao abuso de substâncias. As ideias e exercícios em Entrevista Motivacional e Estágios de Mudança ajudam você a integrar ambos os modelos em sua prática diária. Este livro testado por profissionais é um recurso prático e eficaz para sessões individuais e em grupo, adolescentes, famílias, clientes culturalmente diversos e clientes com comorbidades.

Motivational Interviewing and Stages of Change: Integrating Best Practices for Substance Abuse Professionals

Kathyleen M Tomlin, Helen Richardson 

Hazelden Publishing & Educational Services (28 abril 2005)

Entrevista Motivacional e o efeito de pessoas significativas na mudança

Este estudo avaliou o impacto de comportamentos significativos de outros – terceiros (SO) e do terapeuta como preditores na fala de mudança no cliente em sessões de entrevista motivacional (EM).


Os participantes de um serviço de emergência receberam uma única sessão de EM que incluiu a participação do SO (N = 157). As sessões foram codificadas usando sistemas de codificação da EM. As sessões foram subdivididas em 10 decis iguais para facilitar as análises sequenciais. A modelagem multinível foi usada para examinar as relações entre as seguintes variáveis: comportamentos consistentes e inconsistentes com EM do terapeuta; fala de mudança do cliente e fala de sustentação; e SO apoia a Mudança e SO contra a Mudança.


Nos resultados, os comportamentos consistentes e inconsistentes com EM do terapeuta falharam em prever a conversa de mudança do cliente ou sustentar a conversa no nível decil. Medidas globais do espírito e aceitação da EM por parte do terapeuta foram associadas a níveis mais baixos de falas de permanência pelo cliente (p = 0,002 ep < 0,001, respectivamente). Níveis mais altos de mudança de suporte de SO eram mais propensos a serem seguidos por níveis mais altos de falas de mudança no cliente (p < 0,001) e níveis mais baixos de falas de sustentação no cliente (p < 0,001). Os SOs que se envolveram em comportamentos que desencorajaram o paciente a beber nos 6 meses anteriores à intervenção apresentaram níveis mais altos de Apoio Mudança (p = 0,02). Quando analisado conjuntamente, o comportamento do terapeuta foi significativamente associado à fala de mudança no cliente, mas os tamanhos dos efeitos foram bastante modestos.


O comportamento de SO dentro da sessão impacta as verbalizações do cliente sobre mudanças no uso de álcool. Os resultados levantam questões sobre o papel do comportamento do terapeuta quando um SO está presente.
Referência:

TiTimothy R Apodaca Molly MagillRichard LongabaughKristina M JacksonPeter M Monti. Effect of a significant other on client change talk in motivational interviewing. J Consult Clin Psychol, 2013 Feb;81(1):35-46. doi: 10.1037/a0030881. 

Baralho dos Valores Pessoais

Reconhecer e validar valores proporciona a evocação das motivações na pessoa e traz valiosos recursos para a construção de um projeto de mudança de vida de modo a atingir seus objetivos. Essa construção envolve a resolução da ambivalência, uma vez que a reflexão sobre os valores permite se dar conta tanto dos aspectos positivos, quanto negativos dos valores mediante aquilo que move as escolhas, ações e desejos  do ser humano. Em geral, apenas nos damos conta dos aspectos positivos, mas conforme a ambivalência, os valores podem ser direcionados para uma atuação não construtiva. Tornar este processo mais consciente torna a mudança desejada, possível e viável.

Este baralho oferece a oportunidade de você mergulhar naquilo que te motiva de modo a constituir e desencadear estabilidade na sua vida frente as mudanças necessárias, levando ao questionamento da discrepância entre a pessoa que se gostaria de ser e a pessoa que se tem sido.

O Baralho de Valores Pessoais foi criado em 2001 por William R. Miller, Janet C’de Baca, Daniel B. Matthews e Paula L. Wilbourn, com o objetivo de incentivar a exploração de valores pessoais de modo a eliciar a fala de mudança, que é precursora da modificação de comportamentos, segundo o referencial da Entrevista Motivacional.

Em 2011, foi atualizado para incluir mais valores, chegando à versão atual. Vale destacar que a versão aqui disponibilizada foi adaptada para a realidade brasileira por Neliana Buzi Figlie, além de contar com os feedbacks obtidos por parte de profissionais brasileiros que realizaram o Treinamento em Entrevista Motivacional.

Trata-se de um jogo motivador, incentivador e encorajador em que o profissional consegue reconhecer e validar valores pessoais de forma ágil e estimulante, fazendo com que as pessoas se tornem conscientes das mudanças que precisam fazer a fim de que possam atingir efetivamente seus objetivos.

O material pode ser utilizado individualmente ou em grupo na área da saúde, educação, justiça esportes, social ou profissional!


Maiores informações:
Site: https://www.artesaeditora.com.br/livro-valores-pessoais-9786586140491,fig037.html
Whatsapp: (31) 99403-2227
Telefone: (31) 2511-2040

Acesse o vídeo:

O uso da Entrevista Motivacional na morte e nos cuidados no fim da vida

A morbidade decorrente do luto despreparado é um problema que afeta as relações pessoais próximas de pessoas no fim da vida. A literatura de estudos sobre luto demonstra que a falta de preparação para uma morte de um ente querido é um fator de risco para morbidade psicológica secundária nos sobreviventes. Curto tempo de conscientização da morte correlaciona-se negativamente com a preparação para o luto. A ausência de divulgação do diagnóstico no fim da vida e a falta de prognóstico para estreitar relações pessoais entre pacientes e entes queridos, ou profissionais de saúde e entes queridos, contribui para a dificuldade na conscientização da morte.

Para aumentar a consciência do tempo de morte, a revelação do diagnóstico e prognóstico no fim de vida aos entes queridos ou ao paciente pelo profissional de saúde é de extrema relevância.

Este artigo aborda intervenções baseadas na Entrevista Motivacional em cuidados no fim de vida, cujo objetivo é facilitar a conversa sobre a morte oferecendo uma solução parcial ao luto despreparado.

O estudo avalia  a permissão ética de tais intervenções e o uso da Entrevista Motivacional de forma não diretiva. No entanto, a medida em que a entrevista motivacional não diretiva requer habilidades mais  avançadas, pode ser mais difícil de aprender e praticar. O artigo também discute o que pode ser eticamente permitido em contextos específicos.

Referência:

Isra Black; Ásgeir Rúnar Helgason Using motivational interviewing to facilitate death talk in end-of-life care: an ethical analysis. BMC Palliative Care (2018) 17:51

https://doi.org/10.1186/s12904-018-0305-5

Confira o artigo na integra:

https://link.springer.com/article/10.1186/s12904-018-0305-5

Entrevista Motivacional com Adolescentes

Os autores mostram como usar a entrevista motivacional (EM) para ter conversas produtivas sobre mudança de comportamento com adolescentes e adultos jovens em qualquer contexto clínico. Notável por sua clareza, o livro inclui exemplos de casos estendidos, amostras de diálogos, tabelas de referência rápida do tipo: “faça e não faça”. Ele fornece ferramentas vitais para ajudar os jovens a se abrirem sobre suas lutas internas, explorar alternativas e fazer escolhas mais saudáveis em torno de preocupações como uso de substâncias, tabagismo, ansiedade, adesão medicamentosa e obesidade

Motivational Interviewing with Adolescents and Young Adults Second Edition

Sylvie Naar and Mariann Suarez

August 16, 2021

ISBN 9781462546985

224 Pages

Guilford Press

Entrevista Motivacional como psicoterapia

As descrições da entrevista motivacional (EM) geralmente se concentram em ajudar os clientes a mudar um único comportamento problemático. Em contraste, o estudo de caso  deste artigo mostra que a EM pode servir como uma psicoterapia abrangente, focada não apenas em múltiplos comportamentos problemáticos, mas também em uma mudança consistente com suas raízes na terapia centrada no cliente. Neste caso, o terapeuta entrelaçou vários comportamentos com foco em mudanças mais amplas de estilo de vida, bem como maior clareza de cognições, valores e escolhas do cliente, resultando em várias mudanças duradouras.

Clique aqui para baixar em PDF

Avaliação da prontidão para mudança no consumo alcoólico e sexo seguro pela Escala de Disposição

Como parte de um estudo de intervenção, os autores levantaram a hipótese de que os parâmetros de mudança para avaliar consumo alcoólico e sexo seguro seriam equivalentes a questionários mais longos. Noventa e seis estudantes universitários do sexo masculino preencheram réguas de prontidão e questionários para avaliar a prontidão para mudança destes comportamentos. As pontuações dos participantes nas réguas correlacionaram-se significativamente com suas pontuações nos questionários (r = 0,77 para álcool; r = 0,77 para sexo seguro). Em ambos os domínios, as réguas superaram os questionários na previsão de intenções comportamentais, sugerindo que as réguas tinham pelo menos validade de critério concorrente comparável. Essa descoberta é a primeira desse tipo na literatura sobre sexo seguro e sugere que avaliações rápidas de prontidão para mudar são possíveis. Como as réguas ou escalas de disposição são uma medida contínua, os resultados são consistentes com a ideia de que o processo de mudança é contínuo e não uma série de etapas discretas.

Referência:

LaBrie, J. W., Quinlan, T., Schiffman, J. E., & Earleywine, M. E. (2005). Performance of alcohol and safer sex change rulers compared with readiness to change questionnaires. Psychology of Addictive Behavior, 19, 112-115

Escala que avalia a prontidão para a mudança no tabagismo

O artigo apresenta a validade da Escada de Contemplação, uma medida de prontidão da cessação do tabagismo. As análises dos dados coletados com mais de 400 fumantes em dois locais de trabalho, antes e durante uma intervenção de 10 meses, indicam que as pontuações do Ladder Contemplation foram significativamente associadas à intenção relatada pelos sujeitos em parar de fumar, número de tentativas anteriores de parar, incentivo percebido pelo colega de trabalho para parar e status socioeconômico . As pontuações da escala previram a participação subsequente em programas elaborados para educar os trabalhadores sobre seu hábito de fumar e seus riscos contingentes. The Ladder Contemplation não previu abstinência bioquimicamente de 24 horas ou mais. Para avaliar sua capacidade de distinguir entre grupos que a priori sabidamente diferem em prontidão, a Ladder foi ministrada a um grupo de 36 participantes em um programa de cessação do tabagismo de uma clínica. Como previsto, os pacientes da clínica pontuaram significativamente mais alto do que os trabalhadores. A importância de distinguir entre fumantes nos estágios mais baixos de prontidão para cessação do tabagismo é discutida.

Biener, L., & Abrams, D. B. (1991). The Contemplation Ladder: Validation of a measure of readiness to consider smoking cessationHealth Psychology, 10, 360-365.

Como a ambivalência molda sua vida

Lançamento do Dr William R. Miller

O rico mundo interior de um ser humano é muito mais complexo do que qualquer um. Você pode amar e odiar, querer ir e querer ficar, sentir alegria e tristeza. Em vez de tentar superar a indecisão pela força de vontade, o Dr. Miller explora o que acontece quando as pessoas permitem que argumentos opostos aos seus  conversem livremente uns com os outros, listando prós e contras. Aprender a tolerar e até mesmo acolher sentimentos de ambivalência pode ajudá-lo a se livrar de hábitos indesejados, esclarecer seus desejos e valores, explorar os prós e contras de decisões difíceis e abrir portas para mudanças.

On Second Thought – How Ambivalence Shapes Your Life

William R. Miller

December 28, 2021

ISBN 9781462547500

192 Pages

On Second Thought: How Ambivalence Shapes Your Life  William R. Miller (2021)

1 2 3 19