Avaliação do desenvolvimento da empatia na educação médica: uma revisão sistemática

 

 

Assessing empathy development in medical education: a systematic review

 

Sandra H Sulzer1,*, Noah W Feinstein2and; Claire L Wendland3

Medical Education Volume 50, Issue 3, pages 300–310, March 2016

 

 

A empatia no relacionamento médico-paciente é um tópico familiar para os médicos especialistas e uma meta crucial para os educadores médicos. No entanto, existem divergências persistentes na literatura sobre como melhor avaliar a empatia entre os médicos e se a empatia diminui ou aumenta em toda a educação médica. Alguns pesquisadores argumentam que os instrumentos usados ​​para estudar a “empatia” podem não medir algo significativo na prática clínica ou a satisfação do paciente.

Métodos: Foi realizada uma revisão sistemática para aprender como a empatia é conceituada na pesquisa em educação médica. Examinamos como os pesquisadores definem o conceito central de empatia e o que escolhem para medir, e investigaram como as definições e operacionalizações se encaixam.

Resultados: Entre os 109 estudos que preencheram os critérios de busca, 20% não conseguiram definir o construto central de empatia e apenas 13% usaram uma operacionalização que foi bem compatível com a definição fornecida. A maioria dos estudos foi caracterizada por inconsistências internas e indefinição na conceituação e operacionalização da empatia, restringindo a validade e a utilidade da pesquisa. Os métodos mais comumente usados ​​para medir a empatia se baseiam fortemente no auto relato e no conhecimento desvinculado da ação, e podem, portanto, ter poder limitado a presença ou ausência de empatia em contextos clínicos. Finalmente, a maioria dos estudos tratou a empatia como uma “caixa preta”, usando medições globais de construção que são incapazes de lançar luz sobre os processos subjacentes que produzem uma resposta empática.

Conclusões: Sugerimos que pesquisas futuras sigam o exemplo da pesquisa científica básica que conceitualiza empatia como relacional – um engajamento entre um sujeito e um objeto – e não como uma qualidade pessoal que pode ser modificada por meio de treinamento.

 

Entrevista com a Dra Neliana Buzi Figlie

Confira matéria com a Dra Neliana Figlie sobre Entrevista Motivacional no tratamento da dependência química publicada no Observatório Brasileiro de Informações Sobre Drogas.

 

Acesse o link: http://mds.gov.br/obid/entrevistas/neliana-buzi-figlie

Depoimento dos alunos Módulo Básico– Agosto 2019

Depoimentos

 

Agradeço pelo conhecimento adquirido e com certeza me auxiliará no dia a dia da minha profissão. E claro, a Dra Neliana é fabulosa.

 

Ana Paula de Araújo Daltro

 

Entrevista Motivacional é curso formidável que deveria ser feito por qualquer pessoa que deseja melhorar forma de se comunicar independente da área de atuação.

 

Claudia Bachiega

 

 

O curso me permitiu enxergar formas de evocar mudanças comportamentais, e não apenas refletir e ressignificar crenças. Estou certa de que vai repercutir nas relações e resultados dos meus pacientes.

Aconselhamento centrado no cliente : ou como chegar lá quando você não está certo para onde está indo.

Vale a pena ler ….

 

Aconselhamento centrado no cliente : ou como chegar lá quando você não está certo para onde está indo.

 

Christopher C. Wagner, PhD

A mudança é mais ampla do um comportamento e, muitas vezes, começa antes que uma meta ou plano seja concebido, com os clientes abrindo-se pela primeira vez à vaga possibilidade de preferência. A colaboração é uma característica do espírito da Entrevista Motivacional, e a direção terapêutica pode ser desenvolvida de forma colaborativa em EM por meio do processo de evocar valores, desejos, necessidades, esperanças e objetivos do cliente. Os profissionais podem inicialmente ajudar os clientes a encontrar uma vida melhor e restringir o foco a metas de mudança discretas, quando comportamentos específicos do cliente são identificados de forma colaborativa como obstáculos para alcançar uma vida melhor ou quando a ausência de comportamentos é identificada como risco no progresso em direção a mudança.

 

Motivational Interviewing: Training, Research, Implementation, Practice www.mitrip.org ISSN 2160-584X (online) Vol. 1 No. 1 (2012) DOI 10.5195/mitrip.2012.22

Client-centered Direction

Or How to Get There When You’re Not Sure Where You’re Going

 

Motivational Interviewing in Schools: Conversations to Improve Behavior and Learning (Applications of Motivational Interviewing)¨

A Entrevista Motivacional tem crescido muito na educação.

Recomendo o livro Motivational Interviewing in Schools, escrito para educadores e professores!

Neliana Figlie

Motivational Interviewing in Schools: Conversations to Improve Behavior and Learning (Applications of Motivational Interviewing)¨

Stephen Rollnick ,‎ Sebastian G. Kaplan &‎ Richard Rutschman

Idioma: Inglês     Ano: 2016

Trata-se de um guia de entrevista motivacional para o  educador que demonstra as interações cotidianas com os alunos como poderosas oportunidades de mudança. O livro compreende habilidades e estratégias para tornar conversas breves sobre qualquer tipo de desafio comportamental, acadêmico ou relacionado a pares mais efetiva. Contém exemplos de diálogos com estudantes de forma a promover a resolução de problemas e  crescimento pessoal; exercícios de aprendizagem  e tipos de reflexão. Recursos adicionais úteis estão disponíveis em site complementar. Escrito para professores, o livro é recomendado em oficinas pedagógicas por psicólogos escolares, conselheiros e assistentes sociais.

“A Escutatória”

“A Escutatória”

Rubens Alves

 

“Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular. Escutar é complicado e sutil…

Parafraseio o Alberto Caeiro: “Não é bastante ter ouvidos para ouvir o que é dito; é preciso também que haja silêncio dentro da alma”. Daí a dificuldade: a gente não aguenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor, sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer…

Nossa incapacidade de ouvir é a manifestação mais constante e sutil de nossa arrogância e vaidade: no fundo, somos os mais bonitos…

Tenho um velho amigo, Jovelino, que se mudou para os Estados Unidos estimulado pela revolução de 64. Contou-me de sua experiência com os índios. Reunidos os participantes, ninguém fala. Há um longo, longo silêncio. (Os pianistas, antes de iniciar o concerto, diante do piano, ficam assentados em silêncio, abrindo vazios de silêncio, expulsando todas as ideias estranhas). Todos em silêncio, à espera do pensamento essencial.

Não basta o silêncio de fora. É preciso silêncio dentro. Ausência de pensamentos. E aí, quando se faz o silêncio dentro, a gente começa a ouvir coisas que não ouvia. Eu comecei a ouvir.
Fernando Pessoa conhecia a experiência, e se referia a algo que se ouve nos interstícios das palavras, no lugar onde não há palavras. A música acontece no silêncio. A alma é uma catedral submersa. No fundo do mar – quem faz mergulho sabe – a boca fica fechada. Somos todos olhos e ouvidos. Aí, livres dos ruídos do falatório e dos saberes da filosofia, ouvimos a melodia que não havia, que de tão linda nos faz chorar.

Para mim, Deus é isto: a beleza que se ouve no silêncio. Daí a importância de saber ouvir os outros: a beleza mora lá também. Comunhão é quando a beleza do outro e a beleza da gente se juntam num contraponto. Ouçamos os clamores dos famintos e dos despossuídos de humanidade que teimamos a não ver nem ouvir. É tempo de renovar, se mais não fosse, a nós mesmos e assim nos tornarmos seres humanos melhores, para o bem de cada um de nós.

É chegado o momento, não temos mais o que esperar. Ouçamos o humano que habita em cada um de nós e clama pela nossa humanidade, pela nossa solidariedade, que teima em nos falar e nos fazer ver o outro que dá sentido e é a razão do nosso existir, sem o qual não somos e jamais seremos humanos na expressão da palavra.

 

O que é a Afirmação – Reforço positivo na Entrevista Motivacional

 

 

Afirmar é como segurar um espelho para o cliente se olhar (Stephen Rollnick – Mint Forun 2019).

Afirmar ou reforçar neste contexto significa fazer uma declaração que destaque as forças, habilidades, boas intenções ou esforços da pessoa. Importante salientar que a ausência do pronome “eu” possibilita a percepção de aceitação e de abstenção de qualquer tipo de julgamento.

A proposta é ter como base a essência positiva da pessoa, seus valores pessoais e/ou as falas de mudança.

Segue algumas dicas uteis para os profissionais:

  • Demonstre apoio e compreensão mediante circunstâncias de vida do cliente;
  • Apreciar os esforços do cliente mediante dificuldades;
  • Reconhecer e agradecer as mudanças realizadas – tanto as grandes, como as pequenas mudanças;
  • Reforçar positivamente os esforços, focando mais nos sucessos do que nas falhas;
  • As afirmações devem acompanhar sua comunicação verbal e não verbal;
  • Não realize afirmações que possam parecer falsas ou que são baseadas em falas sem evidencias de realidade.

Alguns exemplos:

Ser uma pessoa honesta é algo importante para você!

Você tem feito progressos desde a nossa última sessão.

Você tem se esforçado para mudar sua prática de atividade física.

Depoimento dos alunos Módulo Avançado – Maio 2019

Durante esse treinamento, após realizar os 3 módulos de ETM eu posso dizer que:

 

  • Aprendi a olhar a EM como um processo de ampliar o profissionalismo, a compaixão, o espírito de equilíbrio e equanimidade.

Daniel Roque Assumpção – Psiquiatra

 

 

  • A EM mudou a forma com a qual abordo meus clientes; curso de ótima qualidade, com bastante conteúdo, prático e teórico.

Jean Cotta – Psiquiatra

 

  • Sou uma pessoa melhor; a professora é maravilhosa e conteúdo bem completo.

Maira Harris – Médica Psiquiatra

 

 

  • Me sinto motivada a atuar dentro do Espirito da EM.

Roseli Nabozny – Assistente Social

 

 

  • Foi muito valido para incrementar minhas possibilidades na prática em Comunidade Terapêutica e a Neliana pelo carinho e competência.

Maria Teresa S Thiago – Psicóloga

 

 

  • Todo conteúdo, incrível!

Leandro Maranhão – Terapeuta

 

 

  • Me sinto mais segura para usar a EM.

Ana Carolina P. Fernandes – Nutricionista

As Promessas do Espírito da Entrevista Motivacional

De vez em quando eu me deparo com um grupo que luta para ter uma noção funcional do conceito de “Espírito da Entrevista Motivacional”. Alguns acham um pouco “etéreo” e subjetivo, e sem saber nada sobre codificação, eles se perguntam em voz alta como os vários domínios do espírito poderiam ser medidos. Então, como um experimento, fiz uma tentativa de “traduzir” as várias facetas do espírito em termos mais tangíveis. Eu tentei transformá-los em “promessas” que um profissional poderia, hipoteticamente, oferecer a um cliente. Eu usei as premissas abaixo como um ponto de partida para a discussão, para ver se isso poderia trazer a altivez do “espírito” para o terreno da discussão do workshop (MINT Forun 2018). Funcionou bem até agora. A questão para discussão torna-se “se eu pudesse seguir com estas declarações em uma entrevista, eu poderia usar a fidelidade a tais promessas como uma maneira de evocar o Espirito da EM?” (Eu estou postando aqui como um “pensamento” – para quaisquer idéias que possam estimular ou apoiar).

EU PROMETO…

  1. Domínio: Parceria
  • Minha promessa para você: Eu prometo trabalhar com você, como seu ajudante – e não como seu “chefe”. Prometo lembrar que você é o especialista em você e em sua vida, e que não tentarei assumir esse papel em seu nome. Eu prometo que vou envolver você, a cada passo do caminho, no trabalho que fazemos juntos. Eu prometo lembrá-lo de vez em quando para me avisar se você me sentir que eu estou muito à frente de você, ou se parecer que estou te puxando, empurrando ou persuadindo você a fazer o que eu gostaria que você fizesse…
  1. Domínio: Aceitação (Valor Absoluto)
  • Minha promessa a você: Prometo aceitar você como um ser humano que é tão bom, digno e merecedor quanto eu, e tão admirável quanto qualquer outro ser humano que se esforça para melhorar as coisas. Eu prometo ver você como você é – e não como uma vítima de todas as coisas que podem ter levado você a este lugar. Eu prometo que vou te ver como você é – e não como alguém que você queira ser.
  1. Domínio: Aceitação: (Afirmações)
  • Minha promessa a você: Prometo dar atenção ao que é bom, corajoso e maravilhoso em você. Sempre que visualiza, vou destacar suas habilidades, os traços e os pontos fortes que você possui e que estão disponíveis para você enquanto trabalha para melhorar sua vida através de nossos encontros. Eu prometo que vou reforçar todas as características positivas que vejo em você, e vou encorajá-lo a fazer o mesmo, especialmente quando você ignorar algumas delas.
  1. Domínio: Aceitação (Empatia Precisa)
  • Minha Promessa para Você: Prometo trabalhar muito duro para entender seu ponto de vista, com precisão, antes de pedir que você considere o meu. Pedirei que você me corrija quando sentir que não estou certo, para que eu possa me juntar à maneira como você vê a vida – por trás de seus próprios olhos. Prometo lembrar que não estou no seu lugar e nunca estive. É por isso que prometo ficar curioso e aprender com você sobre qual foi sua experiência e quais esperanças e desejos chamam você para frente. Eu prometo que ouvir – e mais importante, ouvir o que você diz e significa, e quer, e precisa será uma prioridade na maneira como trabalharei com você.
  1. Domínio: Aceitação (Suporte à Autonomia)
  • Minha promessa a você: Prometo respeitar que você é soberano, de todas as formas. Eu estarei aqui para ajudá-lo a navegar. Vou ficar de olho no mapa e o outro focado no nosso ponto de partida. Ajudarei você a decidir para onde quer ir, e quais opções você tem e quais metas deseja atingir. Honrarei o fato de você estar no banco do motorista no trabalho que faremos juntos.
  1. Domínio Compaixão
  • Minha promessa a você: Prometo que vou me importar e ser guiado pelo que é melhor para você, mesmo quando é difícil para você fazer isso por si mesmo. Trabalharei para ganhar e merecer sua confiança, certificando-se de que suas necessidades estejam sempre no centro de todas as conversas que temos. Prometo investir e me preocupar em encontrar maneiras de obter um bom resultado – mesmo que isso signifique ajudar você a se conectar com outras pessoas que são mais adequadas para ajudá-lo do que eu.
  1. Domínio: Evocação
  • Minha promessa a você: Prometo que evocar suas opiniões, desejos, necessidades e habilidades em relação ao que estamos trabalhando será uma prioridade na maneira como trabalho com você. Prometo ouvir suas razões para tomar as decisões que você toma e não os planos que eu poderia fazer se estivéssemos falando de mim, em vez de você. Eu sei que meus sapatos são os únicos em que posso andar – e isso também vale para você. Eu prometo que pedir será uma prioridade na maneira como trabalho com você.

(Paul Burke)

Texto adaptado por Neliana Buzi Figlie

 

1 2 3 13